Bitmain anuncia ASIC para o protocolo do Monero

Fundada em 2013, a Bitmain é uma das maiores empresas de mineração de criptomoeda no mundo. Ela opera na China e é especializada no desenvolvimento de hardware exclusivo para mineração, os famosos ASICs (application-specific integrated circuit).

O que é ASIC?

Quando o Bitcoin (a primeira criptomoeda) foi inventado, ela foi programada de maneira que qualquer pessoa pudesse minerar por conta própria com seu computador pessoal.  Bastava usar o seu processador comum (CPU) para minerar bitcoins.

A medida que mais pessoas começaram a minerar bitcoins, a dificuldade para se conseguir minerar um bitcoin aumentou. E as pessoas se deram conta que elas poderiam usar placas de vídeo, com unidades de processamento gráfico (GPUs), para minerar bitcoins. E dessa maneira, eles poderiam minerar bitcoins de maneira muito mais rápida e eficiente em comparação com aqueles que mineravam com CPU. Até que chegou um momento em que a mineração com CPUs não era mais rentável.

Então algumas pessoas tiveram a idéia de desenvolver chips de processamento que fossem customizados para uma única finalidade, minerar criptomoedas. E foi assim que os ASICs surgiram.

ASICs nada mais são do que um chip de processamento feito exclusivamente para minerar criptomoedas. Eles são tão poderosos que se torna inútil tentar competir e minerar com qualquer outro hardware (como processadores e placas de vídeo). Apesar de custarem mais caro do que os CPUs e as placas de vídeo, o seu rendimento é muito maior.

Com o passar dos anos, foram desenvolvidas ASICs para minerar outras moedas, como Litecoin e DASH.

ASICs para minerar Monero

A empresa Bitmain anunciou recentemente o desenvolvimento de uma ASIC para CryptoNight, o protocolo de mineração do Monero. O hardware, chamado Antminer X3, indica fazer 220 KH/s usando somente 550W de eletricidade. Para se ter uma ideia,  para alcançar um potencial similar com placas de vídeo seria necessário comprar 110 AMD Radeon Vega 64, o que daria um investimento de mais de 300 mil reais.

O que isso significa para o Monero?

A comunidade e os desenvolvedores do Monero possuem um posicionamento contrário ao desenvolvimento de ASICs para a moeda. No estado atual do mercado das criptomoedas, o desenvolvimento de tal hardware inviabiliza a descentralização, pois impede pessoas com computadores normais de participarem do processo de mineração. Somente quem possui dinheiro para investir nessas máquinas participará de forma competitiva. Além disso, com poucas empresas controlando o desenvolvimento das ASIC, seria perigoso centralizar a produção de equipamento e mineração na rede desta forma.

Prevendo o inevitável desenvolvimento de ASICs, os desenvolvedores do Monero já haviam planejado um update no algoritmo de mineração que acontecerá cada 6 meses. Este update fará com que os ASICs não funcionem, pois eles foram criados para desenvolver UM único algoritmo, e ao mudar, eles se tornam caros pesos de papel.

Vale a pena comprar um ASIC?

Para minerar Monero, não. Na verdade, o lançamento das ASICs coincide com a data em que os desenvolvedores anunciaram a mudança no algoritmo. São fortes os indícios que a Bitmain e outras empresas já estão minerando há meses com este hardware especializado. E agora que o algoritmo mudará, eles anunciam para venda o que consideramos “luxuosos pesos de papel”.

O único argumento para adquirir um ASIC seria para minerar uma outra criptomoeda com o mesmo protocolo de mineração CryptoNight. Porém até mesmo aí você correrá o risco de que o projeto aplicará a mesma mudança do Monero e desabilitar a ASIC.

About Filipe

Filipe é um membro evangelista do Projeto Monero. Entusiasta do mundo das criptomoedas e da tecnologia Blockchain, ele é autor da maioria dos guias e escreve periodicamente para o site Monero Brasil.

View all posts by Filipe →

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *